Like Tour Cast

Round Trips: Capítulo 2 – Conexão Brasil Espanha

Por: liketour | 20/03/2019

2019 é um ano de novidades para o liketour. Além, do já conhecido liketour cast, teremos novos conteúdos, com mais dicas e histórias de viagens para você.  Uma delas é a série de entrevistas no formato escrito, batizada de Round Trips*, onde conversamos com pessoas criadoras de sites, empresário e escritores de livros sobre turismo.

Luís Giron, é espanhol da cidade de Leon e morou os últimos cinco anos no Rio de Janeiro. Como todo estrangeiro adotou o Brasil como país de coração e montou a empresa Soletrum, que auxilia os descentes de espanhóis a conseguiriam a cidadania do país das touradas.  Depois de muitos anos no Brasil conseguiu a cidadania brasileira e agora é brasileiro “no papel” também!

Recentemente, Luís voltou para a Espanha e viajou para outros lugares do continente europeu, ele nos contou como foi ser brasileiro por um tempo, a volta às origens e sobre essas viagens mais recentes.

Round Trips*: No jargão do turismo Round Trips é a viagem completa de ida e volta.

Luís Giron

 

 

 

 

 

LT: Você morou no Brasil por cinco anos, em que circunstâncias veio para o Brasil, já era com a intenção de morar e trabalhar?

Luís: Enquanto estava trabalhando em Barcelona, recebi uma oferta de emprego para trabalhar no Rio de Janeiro, no começo surgiram muitas dúvidas e medos… tinha que deixar para trás a família, os amigos, a minha vida… e ir morar num país novo tão longe de tudo, sozinho… mas o que ia durar um ano acabaram se convertendo em 5 anos… e que 5 anos!!!

LT: Quais foram suas maiores impressões e surpresas sobre o Brasil e o povo brasileiro?

Luís: O que mais me surpreendeu foi o quão aberto e acolhedor que o povo brasileiro é com quem vem de fora… onde eu ia, e descobriam que era estrangeiro, se formava uma roda para querer me conhecer, fazer perguntas sobre a vida fora do Brasil. Já recebi convites para festas de aniversário de pessoas que acabava de conhecer e fiz amizades até na fila do mercado!!! Algo impensável na Europa, onde somos mais frios e “fechados”.

LT: Sua empresa, a Soletrum, ajuda os descendentes de espanhóis a terem a cidadania europeia. Mas, os descendentes de espanhóis no Brasil, não tem uma união comunitária, se comparado a italianos e japoneses, por exemplo.   Como é a demanda pela cidadania espanhola, considerando essa “desunião” e burocracia?

Luís: No último ano a demanda para solicitar a cidadania espanhola aumentou consideravelmente, uns anos atrás, era estranho receber algum pedido para tramitar a cidadania espanhola e agora é raro o dia que não tem um pedido de cidadania espanhola.

LT: Você morou no Rio de Janeiro, que é nosso cartão postal para o mundo, uma cidade muita visitada.  O que você mais gostou do Rio, e quais outros lugares no Brasil, você teve a oportunidade de conhecer?

Luís: Amo o Rio de Janeiro, é uma cidade cheia de contrastes, você está no Parque Nacional da Tijuca, tomando banho de cachoeira, em 30 minutos pode estar tomando um coco no calçadão da praia mais famosa do mundo, e em 15 minutos numa roda do samba no centro da cidade!!Incrível isso né?

Se vão conhecer o Rio recomendo conhecer o Parque Lage (lindooo), tomar uns drinks na Lapa, conhecer a feira de São Cristóvão, o boulevard olímpico entre outras coisas.

Do Brasil conhecia alguns estados: Além do Rio, fui à São Paulo, Paraná, Goiás, Brasília, Espírito Santo, Minas Gerais e Bahia.

LT: Sobre sua cidade natal, Leon, é uma cidade visitada por turistas? Qual o lugar que um turista que vai a Leon, tem a obrigação de conhecer?

Luís: León é uma cidade muito turística e de visita imprescindível! Não podem deixar de conhecer a Catedral de León, um prédio de estilo gótico com umas vidreiras maravilhosas, a Basílica de San Isidoro, onde segundo uns investigadores, se encontra Santo Graal, o Musac um museu de arte contemporâneo, o Palácio de Botines, uma obra de Gaudí, quem desenhou também a Sagrada Família de Barcelona… E conhecer o Bairro Humedo onde poderão experimentar as famosas tapas e beber os vinhos da região.

Catedral de León

 

Palácio de Botines, uma obra de Gaudí

LT: Mesmo diferentes, espanhóis e brasileiros, têm em comum, o sangue latino, para você, qual a diferença e semelhança entre brasileiros e espanhóis?

Luís: Acredito que o mais temos em comum é a positividade e a alegria, e o gosto pela festa!! Brasileiros e espanhóis adoram comemorar e sair pra dançar e beber! Mas não somos tão abertos e confiados como os brasileiros. Não é tão comum fazer sociais e receber as pessoas em casa:  Na Espanha não existe aquele ditado “bota mais água no feijão…” aqui se diz “Cada um na sua casa e Deus na de todos”

LT: A Espanha é pequena, e poderia ser dividida em vários outros países, principalmente pelas intenções separatistas de Catalunha e País Basco.  Como espanhol, qual sua visão sobre isso?

Luís: Acho desnecessárias essas intenções separatistas, principalmente de Catalunha…Não acho certo que um país tão pequeno como a Espanha, tenha que ser dividido. A Catalunha depende da Espanha e a Espanha depende da Catalunha. Seria tão mais fácil deixar as coisas do jeito que estão.

 

Divisão regional da Espanha. Ideias separatistas causam polemica entre os espanhóis

LT: Todo estrangeiro que vem para o Brasil, não pode deixar de comer a feijoada e beber a caipirinha. Na culinária espanhola, o que um brasileiro não pode deixar de experimentar?

Luís: A culinária espanhola, ao igual que a brasileira é muito variada, cada região tem seus pratos típicos, por exemplo, se vier na minha cidade, León, não podem deixar de experimentar o “cocido maragato” um prato a base de carne e grão de bico, de-li-ci-o-so, ou as tapas, que é um pratinho de comida entregue de graça quando você pede um vinho ou cerveja num bar.

Também tem que experimentar a paella valenciana, o gaspacho andaluz… e a famosa tortilla de batata!!

Cocido Maragato. Prato tipico de León

LT: E sua comida preferida no Brasil, qual é?

Luís: Toda!! Amo a comida brasileira… Hehehe. Mas destacaria a comida nordestina: moqueca e baião de dois. Sem esquecer a feijoada, o strogonoff e o famoso churrasco de domingo.

LT:  Recentemente você viajou para Suécia, Dinamarca e Portugal.  Já era uma vontade sua, ou foi uma oportunidade que surgiu ocasionalmente?  

Luís: Adoro os países nórdicos: a cultura, as paisagens, a forma de vida… e ainda não conhecia Dinamarca, pesquisando voos na internet (um dos meus hobbies preferidos) achei umas passagens com um preço imperdível (15,00 €) e decidi ir conhecer Copenhague e aproveitar a viagem para conhecer Malmö na Suécia, uma cidade próxima de Copenhague.

A última viagem para Portugal surgiu da noite pro dia, León fica bem próximo, duas horas de viagem até a divisa com Portugal e 3h30 até a famosa Porto, pelo que decidi juntar uns dias livres e ir relembrar velhos tempos (estudei em Portugal por 2 anos).

Recentemente Luís viajou para a Portugal

LT: E como foi essa viagem: Quais cidades visitou, quanto tempo ficou e suas considerações gerais sobre esses lugares?

Luís: Na viagem para Dinamarca, fiquei na capital, Copenhague, é uma cidade muito, muito linda, bem cuidada, organizada, com um povo muito educado e atencioso… mas absurdamente cara!! Paguei R$ 55,00 reais num Chopp!! Quase enfartei!!

Na Suécia, conheci Malmö, e fiquei apenas um dia, foi um bate volta de ônibus atravessando a ponte Oresund. Dica: passagens com preço ótimo de ônibus entre países da Europa com flixbus.com. Uma cidade que também é muito bem cuidada, bonita e mais barata que Copenhague!!

Em Portugal fiquei no Porto e Vila Real (região onde o vinho de Porto é produzido). Porto é uma cidade incrível com essa mistura de prédios velhos e quase que caindo nos pedaços e prédios modernos, a ribeira do Rio Douro, as adegas de vinho… é uma cidade com preços bem em conta, onde pode comer e beber por muito pouco!! Não deixem de experimentar a francesinha, um prato típico do Porto e o famoso vinho! Delicioso!

 

Ponte Oresund. Liga Dinamarca a Suécia

LT: A Europa é formada por países pequenos e muito diferentes entre si, mas, há uma tendência em generalizar que “europeu são todos iguais”, você visitando países como Dinamarca e Suécia, como você nota essa diferença?

Luís: Talvez a diferença entre Dinamarca e Suécia não seja tão grande assim, pois os dois são países nórdicos com costumes e formas de vida similares. Mas a diferença pode se ver entre Portugal e Dinamarca por exemplo. Enquanto em Portugal tudo é mais caótico e bagunçada e o povo é mais aberto e falante, na Dinamarca é tudo mais organizado, mais quadriculado e as pessoas são bem mais frias.

Acontece o mesmo com os países mediterrâneos (Espanha, Grécia, Itália…) e os países da Europa central, o clima mediterrâneo, faz as pessoas ser mais extrovertidas, abertas, comemorar na rua… enquanto as pessoas da Europa central (Alemanha, Áustria…) são mais reservadas e menos expressivas.

Luís em Copenhague

LT: Você tem planos de voltar ao Brasil? A passeio ou morar aqui novamente?

Luís: Espero regressar ao Brasil no fim do ano para passear, fugir do frio inverno da minha cidade e curtir o calorzão do verão brasileiro, por enquanto não está nos meus planos voltar para morar.

facebook.com/luisfgironc

facebook.com/soletrumdocumentos/